Sobre o projeto

Sobre o projeto

Como aumentar a produtividade agrícola sem agredir o meio ambiente? Esse é um dos grandes desafios atualmente no mundo e o que move o Projeto Agricultura de Baixo Carbono e Desmatamento Evitado para Reduzir a Pobreza no Brasil Fase II – Desenvolvimento Rural Sustentável no Cerrado, ou apenas Projeto Rural Sustentável – Cerrado.

Com um arranjo institucional inovador, que envolve as instituições idealizadoras, beneficiários, executores e apoio científico, o projeto é resultado de parcerias. Tal arranjo mostra a importância do apoio e financiamento à agricultura com tecnologias de baixa emissão de carbono, aliado a uma assistência técnica efetiva a centenas de produtores e produtoras rurais e organizações locais, a fim de fortalecer a comercialização de suas produções agropecuárias.

Enquanto o Brasil teve, em um passado recente, muito sucesso nos seus esforços na redução do desmatamento de vegetação nativa na Amazônia, o bioma Cerrado está sendo ameaçado pela expansão agrícola quando realizada de forma desordenada e não sustentável. Em 2015, as taxas de desmatamento no Cerrado foram quatro vezes maiores do que na Amazônia e estima-se que 15 milhões de hectares possam ser desmatados em uma década. Por outro lado, o Cerrado é uma das regiões do Brasil que mais produz carne bovina e grãos. Considerando os diversos desafios em busca do desenvolvimento rural sustentável para que a produção seja aliada às melhores práticas ambientais e sociais, o Cerrado é o bioma no qual se concentra o projeto.

Somos financiados pelo Fundo Internacional para o Clima do Governo do Reino Unido e regidos pela Cooperação Técnica BR-T1409 do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), tendo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) como beneficiário institucional. O Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS) é o responsável pela execução e administração técnica, financeira e fiduciária do projeto (Convênio BID – IABS ATN/LC-1708-BR). A Associação Rede ILPF, por meio da Embrapa, é a responsável pela coordenação científica e apoio às demais atividades executivas do projeto.

Trazemos ainda vários aprendizados vivenciados durante a Projeto Rural Sustentável – biomas Mata Atlântica e Amazônia, que melhorou a gestão da terra e das florestas por produtores(as) rurais nos biomas Amazônia e Mata Atlântica.

 

ARRANJO INSTITUCIONAL

Objetivos

O objetivo geral do projeto é mitigar as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e aumentar a renda de pequenos(as) e médios(as) produtores(as) no bioma Cerrado, promovendo a adoção de tecnologias produtivas de baixa emissão de carbono. O projeto implementará atividades que melhorem o acesso dos(as) produtores(as) à assistência técnica, à capacitação e ao crédito, assim como ações para fortalecimento de organizações produtivas locais, a fim de fomentar a comercialização de sua produção agropecuária. Além disso, melhorará as capacidades dos(as) prestadores(as) de serviços de assistência técnica locais (instituições e profissionais individuais) para trabalhar com tecnologias de baixa emissão de carbono.

Também fazem parte da nossa atuação ações de conscientização, formação, capacitação e pesquisa, seja envolvendo escolas ou instituições de pesquisa ou a própria comunidade local, com oficinas de empoderamento para diversos públicos.

O atingimento de tais objetivos será possível por meio do apoio na adoção de sistemas de integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) e da recuperação de pastagens degradadas.